O amor por trás dos nossos pratos: conheça a Chef Rose

14 de novembro de 2018

Por trás do sucesso de um restaurante há sempre um Chef de Cozinha. Mas de nada adianta um Chef renomado se não há amor por aquilo que se faz. Esse é um dos principais diferenciais aqui do Cantinho do Pescador: em tudo o que fazemos há amor. E, por trás de todo este cuidado, temos a Chef Rose, que há anos comanda nossa cozinha com zelo e criatividade junto de uma equipe de cozinheiros competentes e dedicados.

A Chef Rose chegou por aqui como quem não quer nada. Ela foi esposa de um dos garçons que, lá em 1994, alugou o restaurante do seu pioneiro, o pescador “Moa”. Com a morte precoce do marido, ela precisou assumir a administração e revolucionou. Hoje, em todos nossos pratos há a sua digital, resultado das experiências vividas em restaurantes pelo mundo afora.

Inspiração para o novo

Se hoje nossos pratos são, de fato, um sucesso, é graças a Chef Rose, que se inspira em receitas para criar coisas novas. Segundo ela, as ideias tomam nova forma aqui no Cantinho. “Já viajei por diversos lugares e sempre que vou aos restaurantes observo tudo. É claro que os pratos deles são minha inspiração, porém, eu sempre faço da minha maneira, sem sequer pedir a receita. Experimento, vejo o que posso acrescentar e, modéstia à parte, faço melhor ainda”, conta Rose.

Comida de verdade

Aqui no Cantinho do Pescador nossas comidas são de verdade. E falamos “de verdade” porque não há muita técnica. A Chef Rose não possui inúmeros cursos, tampouco estudo da alta gastronomia, contudo, mesmo que nossos pratos não sejam para “comer com os olhos”, temos absoluta certeza que são os melhores. “ Tendo amor no que se faz, tudo dá certo! Não sei elaborar pratos sofisticados ou inventar pratos enfeitados. Eu experimento coisas, imagino como elas podem ficar, faço e acrescento ao meu cardápio”, relata a Chef.

Vinda de um passado simples, em que trabalhava como faxineira e cozinheira na casa “dos ricos”, como ela brinca, a Chef Rose reitera a “receita” para um bom restaurante: “Não precisa de muita coisa. Somente amor”, conclui.